fapcom-manOs protestos que vêm acontecendo no país com maior força desde junho do ano passado já conseguiram demonstrar
qual é o papel da internet nas discussões políticas. De um modo geral, a web se coloca como um campo de pesquisa, questionamento, formulação e construção coletiva das reflexões que podem terminar em transformações ou atitudes de vulto.

Não é à toa que, diante disso, candidatos e candidatas aos cargos majoritários e proporcionais, se querem convencer seu eleitorado, angariar apoio e emplacar votos, não podem estar apartados dos debates políticos pautados na rede. Para candidatos que de fato têm interesse em incidir na realidade socioeconômica do país, é preciso presença nessas discussões – na rua e na web.

Assim, as redes sociais devem ser espaço visado pelas equipes de campanha, como aponta reportagem da R7 “Redes sociais devem pautar debates políticos durante campanha eleitoral”. E esse espaço não pode, de modo algum, ser usado para ataques aos candidatos de siglas opositoras. O risco é grande pra quem deseja travar guerra eleitoral na internet!

Leia mais em “Redes sociais devem pautar debates políticos durante campanha eleitoral“.